— Atendimento psicológico no Tatuapé – São Paulo

Amamentar é…

Amamentar é…

Uma vez li em um quadrinho: “Eu produzo leite, qual é o seu superpoder?” Achei perfeito para definir a amamentação, é exatamente isso, um superpoder! É incrível a natureza proporcionar à mulher a possibilidade de amamentar o seu bebê depois de ter gerado sua vida dentro dela. Ver o seu filho sendo nutrido por você é uma sensação indescritível, mas será que amamentar é tão natural como incrível?

A mídia e políticas de saúde tem lançado várias campanhas estimulando cada vez mais a amamentação e a importância do leite materno para a saúde do bebê e inclusive da mãe, o que realmente é verdade, mas será que essas campanhas compreendem a mulher que está entre o aleitamento e o seu bebê? Assim como tudo que acontece na maternidade o amamentar também é novo, ninguém passou por isso até ter a experiência de ter gerado um filho. Fisiologicamente o corpo da mulher está apto para produzir o leite logo após o parto, e é nessa questão indiscutível, que toda mídia se apoia.

Mas e a mulher, que somente no pós parto irá conhecer as competências do seu seio, essa mulher está confortável para oferecer o seu seio? Sabe como lidar com as rachaduras? Sabe observar se o bebê tem a famosa “pega correta?” Quanto tempo o bebê precisa ficar mamando? E quando o leite empedra, o que fazer? (é uma dor horrível!) A mulher tem febre, sabia? (eu tive!) O que fazer com o seio? Será que estou doente? Poderia descrever várias dúvidas neste momento, pois foram as minhas também! Amamentar um bebê vai além do estado biológico para o qual o corpo se prepara, e quando este momento chega, a chance da nova mãe se frustrar é grande, pois se dá conta de que a amamentação não é instintiva, não é natural, e neste momento estão só você e o seu bebê e se percebe que uma adaptação se faz necessária. Então toda essa mídia pró aleitamento fica sem sentido, porque o desejo daquela mãe é amamentar!

Complicado né.. depois do parto ter que lidar com tantas experiências novas, tantas expectativas refeitas porque o bebê está ali, mais do que nunca precisando de você!

Essa mãe, que acaba de nascer, tenta reconstruir sua expectativa, busca ajuda, algumas conseguem seguir com a amamentação radiantes e orgulhosas, outras tiveram que ir por outros caminhos, mas compreenderam que era possível construir a conexão junto ao seu bebê através da mamadeira! E temos as mães que optaram por não amamentar, por qualquer que seja o motivo, afinal o amamentar também passa por questões socioculturais. Amamentar é complexo, não acontece naturalmente na maioria dos casos e os caminhos possíveis são infinitos. A amamentação não se dá exclusivamente no seio, ela acontece na relação entre mãe – bebê que vai se descobrindo e se construindo no dia a dia, entre erros, acertos e muito, muito amor envolvido!

Sem comentários

Deixe um comentário